Terminou o prazo para que os municípios implantem Planos Locais de Mobilidade Urbana - Atitude Tocantins
Terminou o prazo para que os municípios implantem Planos Locais de Mobilidade Urbana
Cidades Gurupi (TO)

Terminou o prazo para que os municípios implantem Planos Locais de Mobilidade Urbana

O Plano de Mobilidade é voltado para os Municípios com mais de 20 mil habitantes e deve ser desenvolvido a partir de debates com a comunidade local; priorizar o transporte não motorizado e coletivo, com planejamento da infraestrutura urbana destinada aos deslocamentos a pé e por bicicleta; e estar de acordo com o plano diretor das cidades.

Em razão da dificuldade técnica que muitas cidades enfrentam, a Confederação Nacional de Municípios (CNM), aponta que existe um projeto de lei que tramita na Câmara dos Deputados pede o adiamento do prazo.

Neste sentido, no início desta semana o vereador Ivanilson Marinho (PMDB) apresentou um projeto em que ele solicita a reforma das calçadas nas principais avenidas de Gurupi. Já em 2013 um outro projeto de Lei de autoria do vereador Ataídes Salgada (PPS) regulamentou a Lei da Acessibilidade, mas desde então caiu no esquecimento.  

No dia 19 de abril de 2013 alunos das escolas das redes públicas, privada e da Apae promoveram um grande movimento para sensibilizar o poder público, empresários e sociedade sobre a importância de eliminação das barreiras que impedem o direito à acessibilidade
No dia 19 de abril de 2013 alunos das escolas das redes públicas, privada e da Apae promoveram um grande movimento para sensibilizar o poder público, empresários e sociedade sobre a importância de eliminação das barreiras que impedem o direito à acessibilidade

A iniciativa do vereador Ataíde aconteceu no ano de 2013 no calor de um grande movimento promovido por alunos de escolas das redes públicas, privada e da Apae que promoveram um intenso apitaço protestando contra as barreiras arquitetônicas que impõem dificuldade dos cadeirantes e pedestres transitarem pelas calçadas e ruas de Gurupi.  No próximo dia 04 de abril, completam dois anos e, praticamente, quase nada foi feito. 

Para que servem as calçadas de Gurupi?

Na manhã desta quinta-feira, 16 percorremos o percurso da região liga o Setor Santa Rita e nova Fronteira até o Centro de Gurupi. As imagens dispensam comentários, devido aos inúmeros obstáculos que impedem até mesmo pedestres se limitação físicas de chegarem até o Centro da Cidade. 

Matagal no local em que seria uma calçada no local onde está sendo construída uma creche prejudica o acesso e ainda pode servir de esconderijo por marginais. (Foto: Wesley Silas).
Na via que dá aos setores Santa Rita, Santa Rita, Bela Vista e Alvorada 1 e 2 o mato toma de conta da calçada e o asfalto foi construído na matade da pista.(Foto: Wesley Silas).

No trajeto que vai desde o  Santa Rita que fica nas proximidades dos  residenciais Bela Vista e Alvorada 1 e 2, conforme mostra a imagens abaixo, a falta de calçadas complicam ainda mais a vida das pessoas que buscam irem ao trabalho, principalmente os pedestres e ciclistas que em muitos pontos são obrigados a disputar espaços com os carros e impossibilita o acesso de cadeirantes ou pessoas com limitação físicas de saírem de suas casas para fazer ir ao comércio no Centro ou a uma agência bancária no Centro da Cidade.

Matagal no local em que seria uma calçada no local onde está sendo construída uma creche prejudica o acesso e ainda pode servir de esconderijo por marginais. (Foto: Wesley Silas).
Matagal no local em que seria uma calçada no local onde está sendo construída uma creche prejudica o acesso e ainda pode servir de esconderijo por marginais. (Foto: Wesley Silas).
No Setor Vila Ires (Malvinas) comerciantes repetem a prática de ocupar a calçada.
No Setor Vila Ires (Malvinas) comerciantes repetem a prática de ocupar a calçada.

Como mostram as imagens as principais barreiras são impostas  por comerciantes, entulhos e falta de manutenção em espaços públicos em local onde existe prédios públicos, o que poderia ser minimizado com uma fiscalização mais atuantes.

Mercado na Vila Ires (Malvinas) usa a calçada para colocar carrinho de compra. Uma prática comum em muitos mercados da cidade. (Foto: Wesley Silas)
Mercado na Vila Ires (Malvinas) usa a calçada para colocar carrinho de compra. Uma prática comum em muitos mercados da cidade. (Foto: Wesley Silas)
Na Rua D, via que liga diversos setores de Gurupi, é comum ver as calçadas serem interrompidas.
Na Rua D, via que liga diversos setores de Gurupi, é comum ver as calçadas serem interrompidas.
Ambulante usa acostamento e calçada para vender seus produtos.
Também na Rua D, ambulante usa acostamento e calçada para vender seus produtos.
Entulho e galhadas prejudicam o fluxo nos pedestres.
Entulho e galhadas prejudicam o fluxo nos pedestres.
Mercado no Centro de Gurupi usa calçada como estacionamento.
Mercado no Centro de Gurupi usa calçada como estacionamento.
Na Avenida maranhão, construtor usa calçada e parte da rua com extensão da reforma de residência.
Na Avenida maranhão, construtor usa calçada e parte da rua com extensão da reforma de residência.

 

“O cadeirante tem que andar, praticamente, competindo com os carros porque não tem acesso suficiente para ele andar e sem contar com as bancas de piratarias que ficam nas calçadas e atrapalha”, disse Fracinete Saraiva em uma das reportagem do Portal Atitude sobre o tema. (Foto: Wesley Silas)
“O cadeirante tem que andar, praticamente, competindo com os carros porque não tem acesso suficiente para ele andar e sem contar com as bancas de piratarias que ficam nas calçadas e atrapalha”, disse Fracinete Saraiva em uma das reportagem do Portal Atitude sobre o tema. (Foto: Arquivo/Wesley Silas)
Em razão da dificuldade técnica que muitas cidades enfrentam, a Confederação Nacional de Municípios (CNM), aponta que existe um projeto de lei que tramita na Câmara dos Deputados pede o adiamento do prazo.
Em razão da dificuldade técnica que muitas cidades enfrentam, a Confederação Nacional de Municípios (CNM), aponta que existe um projeto de lei que tramita na Câmara dos Deputados pede o adiamento do prazo. (Foto: Arquivo/Wesley Silas)

Deixe Sua Opinião Ela é Importante Para Nós

Adicionar Comentário

Clique aqui para adicionar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *