Pai denuncia escola por compartilhar banheiro feminino com masculino em Palmeirópolis - Atitude Tocantins
Pai denuncia escola por compartilhar banheiro feminino com masculino em Palmeirópolis
Cidades Destaques Educação Notícias Palmeirópolis

Pai denuncia escola por compartilhar banheiro feminino com masculino em Palmeirópolis

O agricultor Pedro Minoru Mendes, denunciou no Ministério Público da cidade de Palmeirópolis o uso compartilhado de um único banheiro para meninos e meninas na escola Elda Silva Barros, no setor União. A diretora da escola defende que o uso compartilhado está sendo monitorado por um funcionário enquanto dura a reforma do banheiro.

por Wesley Silas


Pedro Minoru afirmou que suas duas filhas, sendo uma de 08 anos e outra de 09 anos, chegaram em casa reclamando que os meninos estariam usando o mesmo banheiro das meninas e ele teria confirmado quando levou suas filhas ao colégio na última sexta-feira, 16.

“Eu sou pai de duas crianças que estudam em uma escola aqui de Palmeirópolis  e quero fazer uma denúncia desta aberração que está acontecendo na escola. Só tem um banheiro para meninos e meninas e eles deveriam aproveitar o período de férias e de recesso para fazer as reformas, resolveram fazer somente agora e dependem de uma única pessoa ficar controlando a entrada e saída de alunos apenas num banheiro, enquanto eles não conseguem controlar nas salas de aulas”, disse o Pedro Minoru. “Fui falar com a diretora e ela veio me pedi sugestão depois que as obras já tinham começado. Ele deveria perguntar antes de acontecer esta bagunça”, acrescentou.

O que diz a escola:

A reportagem do Portal Atitude ouviu a diretora, Maria José, da escola Elda Silva Barros. Segundo ela a escola atende 480 crianças do 1º ao 5º ano em dois períodos. Informou ainda que assumiu a direção da escola no final de janeiro e as reformas só foram possível depois que ela explicou ao prefeito a situação em que encontravam os banheiros.

“O banheiro das meninas está sendo usado pelos dois (meninos e meninas); só que tem uma pessoa na porta organizando a entrada e ficou dividido três sanitários para cada. Hoje solicitei o engenheiro para colocar uma divisória com chapas de madeirites até terminar a reforma. O pai foi muito agressivo e ele usou nomes desagradáveis e falei para ele não era contra a reclamação dele e expliquei a situação para ele”, explicou a diretora. Ela informou ainda que a reforma irá durar, aproximadamente, duas ou três semanas.

Deixe Sua Opinião Ela é Importante Para Nós

Tags

Sobre o Autor

Atitude Tocantins

Ao desenvolvermos as seções de Agronegócio, Cidades, Opinião, Social, Cultura, Educação e Esporte, Meio Ambiente e Política procuramos atender a necessidade do público em ser informado sobre os acontecimentos locais, regionais ou próximos à comunidade.

Adicionar Comentário

Clique aqui para adicionar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *