Mulheres somam forças à corporação e falam do orgulho de ser bombeiras - Atitude Tocantins
Mulheres somam forças à corporação e falam do orgulho de ser bombeiras
Destaques Estado Mulher e Sociedade Notícias

Mulheres somam forças à corporação e falam do orgulho de ser bombeiras

“Gosto de desafios e foi aqui que me encontrei. Na época em 2001 fomos muito bem recebidas, apesar das dificuldades gerais de todo o começo, aos poucos fomos conquistando nosso espaço”, é o que conta a bombeira subtenente Alessandra Carneiro, uma das primeiras a ingressar na corporação.

 A presença feminina no Corpo de Bombeiros Militar teve início em meados dos anos 2000, na época ainda na Polícia Militar, da qual os bombeiros faziam parte.  “Nos apresentamos ainda soldados, Deusirene, Ghisllenes e eu, na época na 3ª CIA dos bombeiros, um local muito masculino, mas se algum dia sofri preconceito por ser mulher não me lembro, deixei pra trás”, explica a subtenente.

 Outra bombeira que leva o compromisso de salvar vidas como lema é a soldado Gabrielle de Carvalho. Com apenas dois anos e meio na instituição ela conta que aprendeu muito e que a mulher faz diferença ao lidar com certas situações. “Todos os dias sempre tenho um aprendizado diferente, entrei no Corpo de Bombeiros aos 18 anos, hoje tenho 21, mas amo essa profissão”, destacou a militar.

Mulher 2 Ambas garantem que todas as atividades do Corpo de Bombeiros podem ser exercidas por mulheres ou homens de forma igual, sem distinção. No Tocantins são 62 mulheres, distribuídas em sete unidades. 

Soldado Grabrielle durante trabalho operacional.
Soldado Grabrielle durante trabalho operacional.

Ocorrência que marcou

 “Várias ocorrências me marcaram, mas teve uma em que a vítima me desejou tantas coisas boas que nos despedimos chorando. Eu era comandante de viatura, quando na hora do jantar , o alarme do resgate bradou. Por um milésimo de segundo eu fiquei chateada por ter que interromper minha refeição, mas repreendi meu pensamento egoísta e fui para o socorro. Ao chegar ao local uma idosa havia sido mordida por um cachorro, uma senhora muito humilde. E eu contei para ela sobre minha fração de pensamento egoísta, mas ela acabou me dizendo que havia gostado muito de mim. Ai não teve jeito acabei me envolvendo com a vítima. Ao termino do atendimento nos despedimos aos prantos e eu ganhei uma pessoa para me abençoar pelo o resto da vida e acho que tem surtido efeito”. Subtenente Alessandra.

Deixe Sua Opinião Ela é Importante Para Nós

Tags

Sobre o Autor

Atitude Tocantins

Ao desenvolvermos as seções de Agronegócio, Cidades, Opinião, Social, Cultura, Educação e Esporte, Meio Ambiente e Política procuramos atender a necessidade do público em ser informado sobre os acontecimentos locais, regionais ou próximos à comunidade.

Adicionar Comentário

Clique aqui para adicionar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *