Morre em Gurupi a pioneira irmã Maria Feitosa, mãe do Pastor João Feitosa - Atitude Tocantins
Morre em Gurupi a pioneira irmã Maria Feitosa, mãe do Pastor João Feitosa
Cidades Destaques Gurupi (TO) Notícias

Morre em Gurupi a pioneira irmã Maria Feitosa, mãe do Pastor João Feitosa

Morre em Gurupi a pioneira irmã Maria Feitosa, mãe do Pastor João Feitosa
4 (80%) 5 votes

Maria da Silva Carvalho Feitosa, mais conhecida como irmã Maria Feitosa, 92 anos, faleceu na manhã desta terça-feira, 20, no Hospital Regional de Gurupi decorrente a problemas cardíacos. Ela  foi uma das desbravadoras mulheres de Gurupi onde morou por 60 anos e também foi uma das pioneiras da Igreja Assembleia de Deus, ministério de Madureira, onde congregou por 51 anos.  


por Wesley Silas

Irmã Maria Feitosa é natural de Alto do Parnaíba, localizado no extremo sul do Maranhão e chegou a Gurupi no dia 13 de novembro de 1956  juntamente com os filhos, ex-vereador Raimundo Feitosa, quando tinha apenas 05 anos, Valdemar e Valdomiro Feitosa e seu esposo Elizeu de Carvalho que faleceu no ano de 1977, aos 53 anos.

“Viemos de uma região do Maranhão extremamente pobre e ela conseguiu educar os filhos e sobreviver no antigo norte goiano. Em Gurupi, nasceram o pastor João Feitosa, Jesumar Feitosa, Luzmaria e Luzimar. Quase todos os filhos fizeram faculdade, as 15 netas são quase todas graduadas”, disse Raimundo Feitosa.

Irmã Maria Feitosa é mãe do Pastor João da Cruz Gomes Feitosa, presidente das Assembleias de Deus Campo de Gurupi.

Irmã Maria Feitosa e o esposo Elizeu de Carvalho chegaram a morar na Mata do Pantanal em Gurupi, depois se mudaram para Gurupi e com a perda do marido, para sobreviver, alguns dos filhos aprenderam a arte da mecânica de automóvel e tiveram que se ajudarem para superar as dificuldades e vencer na vida.

“Se contar a história de Gurupi e não citar o nome desta velha não é a verdadeira história da cidade, pois quando chegamos a extensão da cidade a cidade chegava até a Rua 05 e existia apenas 04 casas de telhas”, lembra Raimundo Feitosa.

O velório está acontecendo no Templo Matriz das Assembleias de Deus.

“Ela morava há mais de 50 anos na mesma casa e fazia questão de ir todos os dias a pé para igreja Assembleia de Deus da Rua 12, mas, depois que o irmão dela morreu, que é o tio Messias, ela começou a adoecer. Ela era o esteio da  nossa família e todas as semanas nós íamos para lá para tomar café conversarmos”, lembra o filho.

Irmã Maria Feitosa é lembrada como uma das poucas cinquentenárias assembleianas de Gurupi.  

“Se contar a história de Gurupi e não citar o nome desta velha não é a verdadeira história da cidade”, Raimundo Feitosa.

“Ela se converteu em 1966 quando o quando a Igreja Assembleia de Deus Matriz tinha como pastor Geraldo Gonçalves da Silva Cardoso, depois a Igreja foi para Rua 10 com o pastor Quincas e depois mudou para onde é hoje na Avenida Santa Catarina, construída pelo pastor Abigail Carlos de Almeira e hoje é presidida pelo filho dela, pastor João Gomes Feitosa”, explica Raimundo Feitosa.

Para o pioneiro da cidade, Pedro Barbosa da Cruz, 93 anos, a presença da Irmã Maria Feitosa nas famílias de Gurupi traz boas lembranças pelo respeito e pelo ser humano que era.

“Conheço ela desde 1957 e depois, eu e o irmão Djessi, pregamos a palavra de Deus e ela e sua família se converteram. A irmã Maria Feitosa era muita amiga da minha primeira esposa Alice Barbosa da Cruz (in-memorian) e das irmãs Zefinha, Aldinez Aguiar, Luiza Martins e Leonilha”, lembra o pioneiro Pedro Cruz.

Velório e enterro

O velório da Irmã Maria Feitosa está sendo realizado no Templo Matriz das Assembleias de Deus, situado na Av. Santa Catarina esq. Com a rua 19 nº 2787 no centro da cidade.  O culto fúnebre está marcado quarta-feira, 21, às 8 horas da manhã e o sepultamento acontecerá às 9 horas.     

Deixe Sua Opinião Ela é Importante Para Nós

Tags

Sobre o Autor

Atitude Tocantins

Ao desenvolvermos as seções de Agronegócio, Cidades, Opinião, Social, Cultura, Educação e Esporte, Meio Ambiente e Política procuramos atender a necessidade do público em ser informado sobre os acontecimentos locais, regionais ou próximos à comunidade.

Adicionar Comentário

Clique aqui para adicionar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *