Falta de urbanização prejudica a estética e acessibilidade do mercado Municipal - Atitude Tocantins
Falta de urbanização prejudica a estética e acessibilidade do mercado Municipal
Cidades Gurupi (TO)

Falta de urbanização prejudica a estética e acessibilidade do mercado Municipal

Muitas coisas chamam a atenção no mercado Municipal, denominado por força de Lei Municipal, como Centro de Abastecimento e Lazer Niol Nei Furtado. Dentre elas, a importância histórica que bate de frente na carência de urbanidade, pois neste sentido nos últimos anos as medidas de melhoramento vêm  sendo tomadas de forma aleatórias, como nos casos das reformas irregulares e ainda falta de higiene e falta também acessibilidade às pessoas com necessidades  especiais.

Confira aqui um pouco sobre a história do local.

Mercado 3Conforme informa a placa, o local foi inaugurado ainda quando Gurupi fazia parte do Governo de Goiás na gestão Henrique Santillo quando Jacinto Nunes da Silva era prefeito de Gurupi e foi concluído na gestão de João Cruz.  

Enquanto as ações destes dois gestores apenas vivem na lembrança dos moradores, os gurupienses que conhecem a história do local destacam alguns fatos que marcaram a vida de muitas pessoas. 

“O município adquiriu aquela quadra toda e construiu a cobertura para feira no domingo e espaço para lazer para a comunidade nos demais dias da semana. Com o passar do tempo foi se tornando exclusiva para os feirantes com a construção de boxes e permanência das bancas dos feirantes. O engenheiro da obra foi Adelmo Vedramini e o presidente do Indur era Paulo Sidney. Naquele espaço já se apresentaram Elba Ramalho, Zézé de Camargo e Luciano, dentre  outros.Os jogos da Copa também eram assistidos ali”, lembra Divino Allan, que na época era Secretário de Administração Geral do então prefeito Jacinto Nunes.  

Corrente e motos impedem a passagem de cadeirante de pessoas com necessidades especiais.
Corrente e motos impedem a passagem de cadeirante de pessoas com necessidades especiais.

Passados mais de 25 anos, o Centro de Abastecimento e Lazer Niol Nei Furtado, continua sendo frequentado pelos moradores de Gurupi, principalmente aos domingos;  mas, apesar da tradição, ela não acompanhou a evolução da cidade quando se trata de planejamento urbano.

A última intervenção aconteceu por volta do ano de 2.000 quando o ex-prefeito Tadeu Gonçalves transferiu os ambulantes que atuavam na Avenida Goiás e depois de construir o Camelódromo Buriti.

Procurado pelo Portal Atitude, o Gerente de Indústria e Comércio, Domingos Tavares, lembrou que uma das soluções estaria em uma emenda do ex-deputado Ângelo Agnolin no valor de R$ 1,3 milhão para revitalizar o mercado. “Tem uma emenda de R$ 1,3 milhões que foi colocada e estamos aguardando para ver se sai a liberação ainda neste ano porque o projeto já temos e estamos esperando este dinheiro sair para fazer uma reforma”, defendeu. 

“Tem outro projeto que está sendo feito em parceria com o Sebrae que seria a criação de uma galeria do microempreendedor", Domingos Tavares.
“Tem outro projeto que está sendo feito em parceria com o Sebrae que seria a criação de uma galeria do microempreendedor”, Domingos Tavares.

Outra solução apresentada por  Domingos Tavares, seria a criação de uma parceria público-privada no sentido de atrair uma empresa para desenvolver um projeto urbanístico para o local.

“Existe a possibilidade de fazer uma parceria pública privada. Para isso, já tem algumas empresas interessadas porque para o prefeito é uma ação melhor devido a competência de uma iniciativa privada. Tem uns empresários de Palmas que estão estudando o projeto para ver a possibilidade de fazer esta parceria”, disse Domingos Tavares, que aproveitou para  adiantar que em breve será reaberta a porta na parte dos fundos do mercado. “Já mandamos um comunicado para o IPASGU que vamos abrir a porta dos fundos que será feito no máximo dentro de 15 a 20 dias”, acrescentou.

Tavares apresentou ainda uma terceira alternativa, que seria uma parceria com o SEBRAE no sentido de criar uma galeria do microempreendedor no espaço do Mercado Municipal.

Mercado 4
“Já mandamos um comunicado para o IPASGU que vamos abrir a porta dos fundos que será feito no máximo dentro de 15 a 20 dias”, Domingos.

“Tem outro projeto que está sendo feito em parceria com o Sebrae que seria a criação de uma galeria do microempreendedor. Para isso, toda a parte interna do mercado seria reformada  para incentivar as pequenas empresas com atividades diversificadas. Os que estão atuando dentro do Mercado continuariam porque são também microempresários”, disse.

Outro problema é a falta de fiscalização no sentido de padronizar as barracas para que possar criar uma Praça de Alimentação decente  e garanta a beleza estética e ofereça higiene para quem consume produtos do local. 

"“Eles estão fazendo por conta e risco", Domingos Tavares sobre as reformas dos restaurantes.
““Eles estão fazendo por conta e risco”, Domingos Tavares sobre as reformas dos restaurantes.

“Eles estão fazendo por conta e risco, pois a saindo o dinheiro (emenda parlamentar do ex-deputado Ângelo Agnolin) a prefeitura vai fazer uma praça de alimentação e caso for terceirizado eles vão ter que se adequar ao modelo da terceirização. Pior estava antes quando tinha um monte de casas velhas de madeiras que mais parecia uma favela”, disse Domingo Tavares.

Controle Sanitário

Outro problema do local é fala de higiene devido a grande quantidade de e excremento pombos que exalam no mercado um mau cheiro que pode contaminar a comida comercializada no local. Já na feira do domingo, os problemas também não são diferentes, e vários produtos são comercializados sem nenhum acompanhamento sanitário.

Neste sentido a Prefeitura, por meio do prefeito Laurez Moreira,  criou no ano passado o SIM – Serviço de Inspeção Municipal que tem por por finalidade a inspeção industrial e sanitária dos produtos de origem animal, vegetal e produtos artesanais, comestíveis ou não, no âmbito do município de Gurupi. Um trabalho que a prefeitura deverá iniciar o trabalho de conscientização para que a lei possa vigorar.  

"Vamos fazer a semana do SIM onde todos os representantes de supermercados e feirantes devem participar", disse Raimundo Wagner
“Vamos fazer a semana do SIM onde todos os representantes de supermercados e feirantes devem participar”, disse Raimundo Wagner

“Falta apenas sair um Decreto que já está na Procuradoria do Município, pois já temos a Lei do SIM, temos fiscais e vamos distribuir as primeiras remessas dos certificados de inspeção nas próximas semanas.  Para isso, vamos fazer a semana do SIM onde todos os representantes de supermercados e feirantes devem participar. Vamos também disponibilizar na página da Prefeitura informações sobre a documentação necessárias para aderir o SIM”, explicou o Secretário de Produção, Cooperativismo e Meio Ambiente, Raimundo Wagner.

Deixe Sua Opinião Ela é Importante Para Nós

Adicionar Comentário

Clique aqui para adicionar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *