Escolinhas de Futebol de Gurupi sofrem com a paralisação devido ao Distanciamento Social - Atitude Tocantins
Escolinhas de Futebol de Gurupi sofrem com a paralisação devido ao Distanciamento Social
Destaques Esporte Futebol Notícias

Escolinhas de Futebol de Gurupi sofrem com a paralisação devido ao Distanciamento Social

Em Gurupi são mais de 10 entidades que trabalham com o futebol em iniciação esportiva e categorias de base e todas estão com seus treinamentos suspensos por tempo indeterminado.

por Alisson Gonçalves

As entidades que desenvolvem atividades esportivas, de futebol, com jovens, em iniciação esportivas (Escolinhas de Futebol) e Categorias de Base (Times de Futebol), estão sem realizar treinamentos e atividades esportivas a mais de 60 dias e sem previsão de um retorno próximo.
Neste espaço de tempo, alguns proprietários de escolinhas chegaram a fazer uma reunião com autoridades do município na tentativa de se encontrar uma solução viável para minimizar o impacto que o setor vem sofrendo, sendo que fruto desta reunião foi a confecção de um Plano de Ação que foi encaminhado ao Comitê Gestor da Covid-19 no município de Gurupi-TO.

Devido ao agravamento da crise, com o aumento de casos no município, a prefeitura de Gurupi, vem divulgando novos decretos aumentando as medidas restritivas, incluindo em destaque as atividades esportivas, citando escolinhas de Futebol gerando nos profissionais da área um grande descontentamento. Alegando perdas, principalmente financeiras, um grupo de proprietários de Escolinha de Futebol de Gurupi, estão se organizando para uma nova investida, junto ao poder público municipal, na tentativa de voltarem as suas atividades.

Já existe um plano de ação elaborado, aonde as Escolinhas de Futebol, se comprometem em atuar com uma série de cuidados, protetivos aos atletas. Com o objetivo de manter os garotos em atividades, se mantendo na prática esportiva sem se expor aos riscos, que possam existir com os treinamentos da modalidade.

Com destaque para números reduzidos de atletas por horários, treinamentos específico, como fundamentos e práticas que utilizem um menor número de atletas, entre outros.

O professor Paulo Magalhães, do Centro de Treinamento Paulo Magalhães, comentou que a paralisação mudou muito a vida das escolinha de futebol, pois além de interromper os treinamentos, cortando o desenvolvimento dos atletas, existem também as perdas financeiras. Uma vez que existem despesas pra se manter as entidades e com faturamento zero, os prejuízos vão se acumulando. Paulo ainda reforça dizendo que “nossa preocupação além das perdas financeiras se estende ao bem estar dos nossos alunos, quer seja no especto físico, mental e social”.

Deixe Sua Opinião Ela é Importante Para Nós

Tags

Sobre o Autor

Atitude Tocantins

Ao desenvolvermos as seções de Agronegócio, Cidades, Opinião, Social, Cultura, Educação e Esporte, Meio Ambiente e Política procuramos atender a necessidade do público em ser informado sobre os acontecimentos locais, regionais ou próximos à comunidade.