Sem autorização da Câmara, ex-prefeito de Dianópolis compra prédio inadequado para o CAPS - Atitude Tocantins
Sem autorização da Câmara, ex-prefeito de Dianópolis compra prédio inadequado para o CAPS
Cidades Destaques Dianópolis Notícias Saúde

Sem autorização da Câmara, ex-prefeito de Dianópolis compra prédio inadequado para o CAPS

Sem autorização da Câmara, ex-prefeito de Dianópolis compra prédio inadequado para o CAPS
Avalie esse post

A compra de um prédio no valor de R$ 220 mil do dono de uma empresa que prestava serviço para a Prefeitura em Dianópolis na gestão passada não atende recomendações do Ministério da Saúde para a instalação do CAPS (Centro de Apoio Psicossocial). Foi o que observou o Conselho Municipal de Saúde e Vereadores da cidade numa visita realizada nesta sexta-feira, 03.


Acompanhada de servidores do CAPS (Centro de Apoio Psicossocial), representantes do Conselho Municipal de Saúde e Vereadores, a secretária municipal de saúde, Sônia Toscano, visitou o imóvel do Setor Nova Cidade e apontou as inviabilidades de instalação das atividades no local.

De acordo com a Prefeitura, o prédio destinado à sede do CAPS foi adquirido em Março de 2016 com custo de R$ 220.000,00 com vergas do Fundo Municipal de Saúde. Disse ainda que Prefeitura de Dianópolis encaminhou ofício convidando a Defensoria Pública para acompanhar a visita, mas, não compareceu.

 Segundo a Secretária de Saúde, Sônia Toscano, o espaço não atende aos princípios das recomendações do Ministério da Saúde sobre a construção de espaço para o CAPS. “O objetivo é termos um documento formal a cerca dessa situação que será apresentado ao prefeito e em seguida tomaremos as providências devidas” assegurou a secretária Sônia Toscano.

Dianópolis 1Ela informou que o imóvel, além de não ter espaço suficiente, não possui pontos de água, nem de energia elétrica. Para piorar a situação, uma possível reforma também não atenderia as recomendações da planta baixa do Ministério da Saúde e custaria quase o mesmo valor da aquisição do imóvel.

“Esse dinheiro foi muito mal empregado. O prédio foi adquirido para o CAPS, mas, nós não somos obrigados a fazer uso de um espaço inadequado. Só a recepção tem que ter 60m².” apontou a secretária.

Compra sem autorização

Os órgãos fiscalizadores, como a Câmara Municipal e Tribunal de Contas, alegam que só souberam da aquisição do prédio após a efetuação do pagamento. No entanto a atual gestão municipal informou que houve discussão sobre necessidade de aquisição de uma sede, mas, a estrutura em questão nunca foi levada a conhecimento do Conselho Municipal de Saúde e ou Câmara de Vereadores. Segundo a secretaria Municipal de Saúde, após a compra houve denúncia ao Ministério Público sobre a aquisição do imóvel e tempos depois o Tribunal de Contas do Estado embargou o início da reforma prevista ainda na gestão anterior. “A gente não buscou mais o MP para saber o andamento da denúncia” informou Samara Rachel, psicóloga do Caps.

Dianópolis 1cDiante as irregularidades, o prejuízo maior são às pessoas que necessitam dos serviços do Caps, que estão sem atendimento desde outubro de 2016.

 “Achei um Caps sucateado e sem funcionários. O prefeito já autorizou a contratação de um Educador Físico, um Terapeuta Ocupacional e um Nutricionista, mas, eu não sou inconsequente ao ponto de contratar esse pessoal sem ter definido o local de trabalho para início das atividades” ressaltou Sônia Toscano, secretária de Saúde.

No entanto, a Secretaria de Saúde informa que busca alternativas para organizar os serviços  à comunidade e que no início estruturou os Postinhos de Saúde da Família, que estavam sem profissionais e sem recursos devido à falta de alimentação do sistema. Mas, agora a prioridade é o Caps que deve ser resolvido até o final deste mês.

 Prédio atual

O prédio adquirido na gestão passada não atende recomendações do Ministério da Saúde
O prédio adquirido na gestão passada não atende recomendações do Ministério da Saúde

Desde a implantação do Caps, a unidade funciona em prédio alugado por  R$ 3.500,00 que encontra-se em situação precária.  Para a secretária de saúde,  a reforma no local levaria cerca de 90 dias. “Eu não admito a continuidade do Caps naquele local que quando chove as pessoas precisam sair de dentro porque molha tudo. Além disso, a despesa mensal é de quase R$ 11.000,00. Desde outubro a conta de água só aumenta e no último mês custou R$ 6.000,00, mais R$ 900,00 de energia” relatou a secretária e ainda disse que não se arrisca quebrar uma construção alheia sem a planta arquitetônica para descobrir um vazamento.

Ela alega ainda que espaço ainda é inadequado para as atividades de terapia e lembra que o Caps de Dianópolis é referência regional e conta com equipamentos como: máquina de costura, mesa de ping-pong e máquinas de panificação sem uso, devido à falta de local para instalação.

“Esses materiais ficam em outro local, um aluguel paralelo. Os pacientes não têm terapia” afirmou a secretária. O projeto de funcionamento do Caps conta ainda com atividades voltadas para o cultivo de horta, granja e outras que demandam espaço.

Segundo a secretária está sendo feito um levantamento do histórico do Caps para conhecer o resultado das atividades desempenhadas com o intuito de mensurar os pacientes reabilitados e conhecer as instituições parceiras.

 Uso provisório do imóvel da Nova Cidade

Devido à inadequação do prédio para uso do Caps, o imóvel foi destinado para instalação da Fisioterapia Municipal e ainda precisa passar por reparos, como adequação dos banheiros e divisórias internas, além da instalação hidráulica e elétrica. “Fui à Odebrecht solicitar a instalação da água e descubro que a prefeitura tem um débito da gestão anterior de mais de 100 mil reais, já foi dada entrada no processo de negociação, mas, a fornecedora ainda não liberou” relatou a secretária.

O padrão para instalação elétrica está em processo de licitação para compra e a água depende da fornecedora acatar a proposta de negociação da dívida. A atual gestão só teve conhecimento desse débito no mês de fevereiro, e é referente a inadimplências de Agosto a Dezembro de 2016. (Com informações de Maryellen Crisóstomo)

Deixe Sua Opinião Ela é Importante Para Nós

Tags

Sobre o Autor

Atitude Tocantins

Ao desenvolvermos as seções de Agronegócio, Cidades, Opinião, Social, Cultura, Educação e Esporte, Meio Ambiente e Política procuramos atender a necessidade do público em ser informado sobre os acontecimentos locais, regionais ou próximos à comunidade.

Adicionar Comentário

Clique aqui para adicionar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *