Pronome de Tratamento | Servidores da Polícia Federal devem ser tratados como “senhor ou senhora” - Atitude Tocantins
Pronome de Tratamento | Servidores da Polícia Federal devem ser tratados como “senhor ou senhora”
Destaques Notícias Polícia

Pronome de Tratamento | Servidores da Polícia Federal devem ser tratados como “senhor ou senhora”

Pronome de Tratamento | Servidores da Polícia Federal devem ser tratados como “senhor ou senhora”
5 (100%) 1 vote

Nada de doutor ou Vossa Excelência. A Federação Nacional dos Policiais Federais (FENAPEF) requereu nesta sexta-feira, 12, ao Diretor Geral do Departamento de Polícia Federal, Maurício Leite Veloso, a incorporação nas rotinas que regulamenta as regras de redação oficial proibindo que Policiais Federais sejam chamados de Vossa Excelência, doutor, ilustríssimo ou digníssimos; mas de senhor ou senhora.

por Wesley Silas

O oficio enviado ao Diretor Geral da Polícia Federal, Maurício Leite Veloso,  requer que seja cumprido o Decreto Presidencial nº 9.758, de 11 de abril de 2019, que estabeleceu no Artigo 2º que “o único pronome de tratamento utilizado na comunicação com agentes públicos federais é ‘senhor’, independente do nível hierárquico, da natureza do cargo ou da função ou da ocasião”.

No oficio, o presidente da FENAPEF, Luís Antônio de Araújo Boudens, requereu que o Diretor Geral da Polícia Federal determine a imediata correção em todos os sistemas internos de comunicação e redação da Polícia Federal e que editada mensagem circular orientando todo quadro de pessoal sobre as modificações constadas no Decreto, bem como oriente em relação à inadequada utilização de título acadêmico “doutor” como pronome de tratamento, inclusive em cerimonial da Polícia Federal.

Deixe Sua Opinião Ela é Importante Para Nós

Tags

Sobre o Autor

Atitude Tocantins

Ao desenvolvermos as seções de Agronegócio, Cidades, Opinião, Social, Cultura, Educação e Esporte, Meio Ambiente e Política procuramos atender a necessidade do público em ser informado sobre os acontecimentos locais, regionais ou próximos à comunidade.

Adicionar Comentário

Clique aqui para adicionar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *