Moradores continuam sendo obrigados a conviver com excrementos de presos da CPP de Gurupi - Atitude Tocantins
Moradores continuam sendo obrigados a conviver com excrementos de presos da CPP de Gurupi
Cidades Destaques Estado Gurupi (TO) Meio Ambiente Notícias

Moradores continuam sendo obrigados a conviver com excrementos de presos da CPP de Gurupi

por Wesley Silas

Dona Maria Abadia mora há 37 anos no setor União e desde que foi construída a Casa de Prisão Provisória localizada no Setor Cruzeiro, ela juntamente com moradores de setores como União e Parque Primavera convivem com o problema do esgoto dos presos que desemboca no córrego Mutuca.

“Desde que abriu a CPP convivemos com este problema. Antes o esgoto corria a céu aberto, depois eles fizeram um encanamento e hoje continua como você está vendo. Eles jogam a responsabilidade para a Prefeitura, que joga para o Estado”, disse Maria Abadia.

A moradora do setor União afirmou ao Portal Atitude que muitas pessoas passam mal devido o mau cheiro do esgoto que desce na rua provocando prejuízos, não só de saúde, mas imobiliários na região.

Esgoto Policlínica ok
O esgoto da CPP provoca prejuízo econômico e na saúde pública. (Foto: Wesley Silas)

“É dor de cabeça, mal estar no estômago. É tudo que você pensar porque o mau cheiro acontece toda hora. De manhã quando eu levanto e abro a porta do fundo da minha casa entra o fedor. Ninguém consegue vender ou alugar seus imóveis. É triste conviver com este descaso porque se saísse de uma residência o dono já estaria preso”, disse Maria Abadia.

Prefeitura notifica Secretaria de Estado da Cidadania e Justiça

A prefeitura municipal de Gurupi, informou ao Portal Atitude que Vigilância Sanitária e a Gerencia de Meio Ambiente tomou providências para solucionar o problema por meio de inspeção que constatou o problema.

Esgoto mutuca
O esgoto segue no leito do córrego Mutuca. (Foto: Wesley Silas)

“De imediato a Secretaria de Cidadania e Justiça foi notificada pela Vigilância Sanitária  e foi dado o prazo de 48 horas para solução do problema. Ao retornarem, os fiscais constataram que o problema não havia sido solucionado e lavraram o auto de infração referente aos danos causados. O processo administrativo foi montado e está em tramitação”, disse a prefeitura. “Com relação ao dano ambiental por poluição causado pelo vazamento da fossa da Casa de Prisão Provisória, a Gerencia de Meio Ambiente informou que a Secretaria de Cidadania e Justiça já foi notificada pelo Município e no momento aguarda posicionamento do órgão estadual responsável pela CPP”, acrescentou.

A Secretaria de Cidadania e Justiça do Estado informou ao Portal Atitude que ainda não foi notificada pela município e que iniciou no domingo a coleta dos dejetos.

“A Secretaria de Cidadania e Justiça do Estado informa que o processo de coleta dos dejetos da Casa de Prisão Provisória de Gurupi, pelo serviço de esgoto, foi iniciado no último domingo, 29, com finalização até o fim da tarde desta segunda-feira, 30”.

Solução para o problema

Em nota, Odebrecht Ambiental | Saneatins, responsável pelo saneamento de Gurupi, informou ao Portal Atitude que a “Casa de Prisão Provisória de Gurupi não é atendida com rede coletora de esgoto operada pela concessionária e, até que ocorra esse acesso, cabe ao gestor da casa a busca de solução individualizada para o esgoto lá gerado”.

Segundo a concessionária, “nos últimos meses, a companhia tem apoiado os gestores públicos com análises de viabilidade para as possíveis soluções que garantam que o esgoto gerado na CPP seja bombeado para a Estação de Tratamento de Esgoto que atende o restante do município e, após tratamento adequado, possa ser devolvido à natureza sem prejuízo ao meio ambiente”.

Policlínica

Esgoto Policlínica
Unidade de Atenção Especializada em Saúde (Policlínica), sendo construída próximo a CPP (Foto: Wesley Silas)

Além de prejudicar a saúde de moradores, ao lado da CPP está sendo construída uma Unidade de Atenção Especializada em Saúde (Policlínica), que pode ser infectada com doenças por microrganismos patogênicos.

“Até um pedreiro que trabalha na construção desta Policlínica nos disse que ia deixar o serviço porque não agüenta o mau cheiro. Minha mãe é doente e não está mais aguentando. É terrível, muito terrível!! É só quem mora aqui sabe o que passamos. A minha vizinha e o meu marido já cansaram de ir lá e eles sempre dizem que é a responsabilidade é da Prefeitura, depois dizem que é do Estado”, disse Maria Abadia.

A água do córrego Mutuca é usada por muitos chacareiros.
A água do córrego Mutuca é usada por muitos chacareiros. (Foto: Wesley Silas)

O mecânico, Bruno Pereira, afirmou que não tem dia e nem hora dos excrementos dos presos passarem na porta da sua casa.

“Faz muito tempo que este esgoto corre na minha rua. Tem dias que começa sem escorrer o esgoto, mas durante a noite ‘o pau caia a folha’ e amanhece correndo o esgoto. A ‘catinga’ (mal cheiro) aqui é imensa e não podemos nem ficar na porta da nossa casa. Quanto a gente colocar o carro dentro da garagem fica uma ‘catinga’ que fede muito”, disse o mecânico que espera por uma medida definitiva para que as famílias e o córrego mutuca não seja mais prejudicados com o esgoto da CPP de Gurupi.

Segue abaixo as notas: 


Nota ao Site Atitude Tocantins

PREFEITURA MUNICIPAL DE GURUPI

A Vigilância Sanitária e a Gerencia de Meio Ambiente da Prefeitura de Gurupi já tomaram providencias com relação ao problema e medidas foram executadas.

1- A Vigilância Sanitária de Gurupi realizou uma inspeção e foi constatado o problema de esgoto da Casa de Prisão Provisória de Gurupi.

De imediato a Secretaria de Cidadania e Justiça foi notificada pela Vigilância Sanitária  e foi dado o prazo de 48 horas para solução do problema. Ao retornarem, os fiscais constataram que o problema não havia sido solucionado e lavraram o auto de infração referente aos danos causados. O processo administrativo foi montado e está em tramitação.

2- Com relação ao dano ambiental por poluição causado pelo vazamento da fossa da Casa de Prisão Provisória, a Gerencia de Meio Ambiente informou que a Secretaria de Cidadania e Justiça já foi notificada pelo Município e no momento aguarda posicionamento do órgão estadual responsável pela CPP. 


Odebrecht Ambiental | Saneatins

Segue esclarecimento.

A Odebrecht Ambiental | Saneatins esclarece que a Casa de Prisão Provisória de Gurupi não é atendida com rede coletora de esgoto operada pela concessionária e, até que ocorra esse acesso, cabe ao gestor da casa a busca de solução individualizada para o esgoto lá gerado. Nos últimos meses, a companhia tem apoiado os gestores públicos com análises de viabilidade para as possíveis soluções que garantam que o esgoto gerado na CPP seja bombeado para a Estação de Tratamento de Esgoto que atende o restante do município e, após tratamento adequado, possa ser devolvido à natureza sem prejuízo ao meio ambiente.

Estou à disposição.

Atenciosamente,

Odebrecht Ambiental | Saneatins


Secretaria de Estado da Cidadania e Justiça

NOTA 30.05.2016
CPP DE GURUPI
A Secretaria de Cidadania e Justiça do Estado informa que o processo de coleta dos dejetos da Casa de Prisão Provisória de Gurupi, pelo serviço de esgoto, foi iniciado no último domingo, 29, com finalização até o fim da tarde desta segunda-feira, 30.

Deixe Sua Opinião Ela é Importante Para Nós