Lei de cotas da UnirG é questionada por professor - Atitude Tocantins
Lei de cotas da UnirG é questionada por professor
Unirg

Lei de cotas da UnirG é questionada por professor

Lei de cotas da UnirG é questionada por professor
Avalie esse post

A aplicabilidade da Lei que dispõe sobre a reserva de 10% das Vagas no Vestibular do Centro Universitário Unirg para estudantes que tenham cursado integralmente o ensino médio em escolas públicas ou conveniadas do município de Gurupi está sendo questionada por professores e alunos

O problema principal é que a lei foi aprovada mas não tem recursos para custear as bolsas. Após o resultado do vestibular da Unirg, o professor Hélio Buenaga Sevilha procurou vários órgãos, dentre eles o Ministério Público, a Procuradoria do Município e ao autor da Lei, vereador Walter Júnior (SD) para buscar orientações sobre a aplicabilidade da lei que foi aprovada em outubro do ano passado.


Como resposta do Ministério Público, o professor teve como resposta na sexta-feira, 04, que a lei não dá garantia para a permanência do aluno na Unirg. “Me foi explicado que mesmo sendo uma questão de cidadania, a UNIRG não tem como ser obrigada a exercer sua função social, até porque a lei aprovada não especifica nada sobre como garantir a permanência do aluno carente”.


Depois de ouvir o Ministério Público, o professor seguiu em busca de respostas na Procuradoria do Município e da deputada Josi Nunes (PMDB). “Estive também buscando um questionamento com o Procurador do Município, Thiago Benfica que me orientou sobre a questão de se buscar o Crediunirg que não foi completamente aplicado na referida IES. Ficamos esperando um posicionamento da senhora Josi Nunes no tocante a isso, contudo nada foi respondido ainda”, disse.


O professor chegou citar que o Vereador Walter Junior (SD), idealizador da lei, não aprovou a mesma sozinho e seus pares na Câmara Municipal de Gurupi comungaram dessa oportunidade dada aos alunos carentes de Gurupi, tal e qual ajudaram o jovem Dowglas no ano passado.


“Faço aqui um apelo aos Vereadores para que não se abstenham dessa questão, são mais de 18 jovens nessa situação e antes que venham me mandar mensagem inbox (facebook), dizendo que estou com interesses eleitoreiros, esclareço, não preciso disso e nem tenho interesse”, explicou o professor.


Para o professor sua iniciativa tem como objetivo ajudar a oferecer chances aos estudantes carentes terem o direito a concluir uma faculdade. “Quero tão somente que jovens carentes tenham direito de se formarem, pelo menos com a oportunidade de pagar com o seu trabalho parte de sua formação, isso não é pedir muito para uma IES que tem ligação com o Municipio de Gurupi”, apontou.


Em resposta aos questionamentos do professor, o autor do Projeto de Lei, vereador Walter Júnior (SD) afirmou que ele deu o primeiro passo para que no futuro os alunos tenham o benefício. “Um próximo passo, próxima lei será converter impostos para bolsas. Já existe em Goiais. O deputado Eduardo Gomes (SD) está me orientando: o empresário vai poder escolher (adotar) um aluno e de acordo com o valor do imposto que ele paga mensal vai ser o desconto!”, explicou o vereador.


Walter Júnior, lembrou ainda que todas os Projetos de Leis elaborada pelos vereadores depende da aprovação da maioria.  


“Pode um vereador criar uma lei em grupo ou sozinho, porém não se pode aprovar lei sozinho! Por isso dependo dos demais, se eu fosse o prefeito (Executivo) teria mais oportunidades, mas como um único vereador tenho que ir por etapas!”, explicou.

Deixe Sua Opinião Ela é Importante Para Nós

Adicionar Comentário

Clique aqui para adicionar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *