La Niña contribuiu para o desenvolvimento das lavouras de soja e milho do Matopiba, informou a FAET - Atitude Tocantins
La Niña contribuiu para o desenvolvimento das lavouras de soja e milho do Matopiba, informou a FAET
Agronegócio Destaques Estado Negócios Notícias

La Niña contribuiu para o desenvolvimento das lavouras de soja e milho do Matopiba, informou a FAET

La Niña contribuiu para o desenvolvimento das lavouras de soja e milho do Matopiba, informou a FAET
Avalie esse post

A Expedição Safra, Marcos Tosi, irá na próxima semana visitar os roteiros de campo pelo Matopiba, onde uma equipe de técnicos e jornalistas irão acompanhar as principais regiões produtoras de Gurupi (TO), Guaraí (TO), Balsas (MA), Bom Jesus (PI), Barreiras (BA) e Luís Eduardo Magalhães (BA). As cidades fazem parte de quatro estados com potencial para colher até 12,1 milhões de toneladas de grãos na temporada 2017/18.

por Redação


Vale ressaltar que o fenômeno La Niña contribuiu para o desenvolvimento das lavouras de soja e milho do Matopiba, região formada pelos estados do Maranhão, Tocantins, Piauí e Bahia. A seca intensa registrada nas últimas temporadas deu lugar a chuvas regulares e em quantidade adequada, favorecendo as condições de plantio e os índices de produtividade.

Segundo dados da Expedição Safra, os quatro estados têm potencial para colher até 12,1 milhões de toneladas de grãos na temporada 2017/18 – marca 7,46% maior que a registrada no ciclo anterior, quando o a região produziu 11,26 milhões de toneladas.

O volume de chuvas registrado no início do ano foi essencial para o enchimento dos grãos e o incremento da produtividade. No estado do Tocantins, os índices devem ficar acima de 50 sacas por hectare, bem diferente das 30 ou 35 sacas por hectare colhidas nas últimas temporadas em que houve quebra. Na Bahia, conforme levantamento preliminar da Expedição Safra, os produtores esperam bater o recorde registrado no ciclo 2010/11 e fechar o ano agrícola com média geral acima de 56 sacas por hectare. Piauí e Maranhão também sustentam potencial para alcançar resultados semelhantes.

SOBRE A COLHEITA

A colheita, no entanto, ainda não ganhou ritmo. As chuvas que favoreceram o desenvolvimento das plantas, agora dificultam os trabalhos de retirada dos grãos. “A janela de colheita está ficando um pouco apertada, mas ainda não oferece risco. Apenas no Maranhão, os produtores estão correndo para plantar o milho safrinha para evitar os períodos de seca comuns durante o inverno”, destaca o integrante da Expedição Safra, Marcos Tosi, que na próxima semana coordena os roteiros de campo pelo Matopiba.

A equipe de técnicos e jornalistas vai visitar as principais regiões produtoras de Gurupi (TO), Guaraí (TO), Balsas (MA), Bom Jesus (PI), Barreiras (BA) e Luís Eduardo Magalhães (BA). Nessa quarta-feira (21), o projeto promove a etapa Brasília (DF) dos Seminários Expedição Safra 2017/18. O evento vai reunir representantes de todos os elos da cadeia produtiva para debater os desafios e as oportunidades do mercado internacional de grãos. A programação terá início às 9h30, na Caixa Cultural. (Com informações do Agrolink)

Deixe Sua Opinião Ela é Importante Para Nós

Tags

Sobre o Autor

Atitude Tocantins

Ao desenvolvermos as seções de Agronegócio, Cidades, Opinião, Social, Cultura, Educação e Esporte, Meio Ambiente e Política procuramos atender a necessidade do público em ser informado sobre os acontecimentos locais, regionais ou próximos à comunidade.

Adicionar Comentário

Clique aqui para adicionar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *