Dica de leitura | Jornalista faz pedido de socorro! - Atitude Tocantins
Dica de leitura | Jornalista faz pedido de socorro!
Brasil Cultura Destaques Educação Notícias

Dica de leitura | Jornalista faz pedido de socorro!

“Eu sou jornalista, não, eu estou jornalista, sou antes de mais nada um ser humano como você, já reduziram meu salário e estou prestes a perder meu emprego, voltei a fumar e bebo muito mais que antes, não sei mais nem como olhar para minha família, os remédios da farmácia aumentaram o preço e o número de caixas aqui em casa, antes uns calmantes  de parente já resolviam meus problemas de insônia, hoje nem me fazem piscar… assim relato o que um paciente jornalista descreve quando fiz a Simples pergunta; como você está? E aí, você sabe responder  essa pergunta a você”. Texto do Psiquiatra: Davi Urias Vidigal, que em outubro lança seu livro, Quem mexeu na minha deprê?

por Davi Urias Vidigal

“Com tanta notícia boa brotando pelos quatro cantos do Brasil o jornalista se vê diariamente tendo que noticiar mortes e mais mortes…” Davi Urias Vidigal.

Redações estagnadas nos noticiários do Covid, salários sendo reduzidos, amigos de profissão sendo demitidos ou eu que já fui também, o velho jornalismo que antes me fazia ficar apaixonado pela minha profissão de repórter, de escritor, de apresentador ficou resumido a testemunhar o sepultamento em vida de meus amigos e de toda população.

Já não sei mais o que fazer com tanta pauta maravilhosa que serviria de detox para qualquer leitor, mas só temos a permissão de noticiar o obituário, de dizer use máscara, passe álcool e fique isolado.

Se isso não está te deprimindo e te enlouquecendo é porque vc já está com depressão e ou louco de fato.

Eu sinto falta de uma matéria sobre novas flores descobertas, sobre um pedaço do paraíso que você ainda não conhece e que está promovendo uma festa, da semana do abraço na avenida central da sua cidade, nossa em pensar que já vi isso tantas vezes e fugia desse abraço por achar essa campanha ridícula!, dos cachorros da moda, da noiva que fugiu do altar de moto, da criança que fez a pipa mais genial, do homem que andou do Alaska a terra do fogo para promover a paz…

Eu sou jornalista, não, eu estou jornalista, sou antes de mais nada um ser humano como você, já reduziram meu salário e estou prestes a perder meu emprego, voltei a fumar e bebo muito mais que antes, não sei mais nem como olhar para minha família, os remédios da farmácia aumentaram o preço e o número de caixas aqui em casa, antes uns calmantes  de parente já resolviam meus problemas de insônia, hoje nem me fazem piscar… assim relato o que um paciente jornalista descreve quando fiz a Simples pergunta; como você está? E aí, você sabe responder  essa pergunta a você, “ Quem mexeu na minha deprê!

Está claro que o corona vai além do número de óbitos, máscaras, álcool, isolamento… ele está fritando o humor de quem nos dá notícia em primeira mão!

Deixe Sua Opinião Ela é Importante Para Nós