Agrotóxicos: SES esclarece sobre nível de contaminação de água - Atitude Tocantins
Agrotóxicos: SES esclarece sobre nível de contaminação de água
Destaques Estado Notícias

Agrotóxicos: SES esclarece sobre nível de contaminação de água

Em nota, área técnica da vigilância em saúde ambiental esclarece que na água consumida no Tocantins até o momento, não foram detectados agrotóxicos acima dos valores permitidos. A nota refere a repercussão publicada no Portal Atitude da investigação conjunta da Repórter Brasil, Agência Pública e a organização suíça Public Eye que mostrou, apesar dos 27 tipos de agrotóxicos encontrado na água consumida em 121 municípios Tocantinenses, a quantidade considerada preocupante alcançou poucos municípios, dentre eles Paraíso do Tocantins, Gurupi e Araguaína. Enquanto as cidades como a Capital Palmas, Porto Nacional e demais municípios,  o índice  foi seguro, abaixo dos limites brasileiros e europeus.

Por Redação

Após veiculação do estudo denominado “Coquetel” onde cita que 27 tipos de agrotóxicos foram achados na água de um a cada quatro municípios do Brasil, onde afirma que dos 139 municípios do Tocantins, em 121 foram identificados tais substâncias, a Secretaria Estadual de Saúde (SES) por meio da Superintendência de Vigilância em Saúde, emitiu nota sobre os trabalhos da área técnica de Vigilância da Qualidade da Água para Consumo Humano (Vigiagua),  em especial aos monitoramentos semestrais tanto da vigilância (análises realizadas pelo setor saúde), quanto do controle (análises realizadas pelo responsável pelo abastecimento de agua) para os parâmetros “agrotóxicos” e que atestam a qualidade boa para consumo.

De acordo com a nota, as análises são feitas conforme preconizado na Portaria de Consolidação Nº 5/2017 do Ministério da Saúde, em seu anexo XX, onde estabelece a lista dos agrotóxicos a serem analisados, a periodicidade, bem como, seus valores máximos permitidos.

“A população tocantinense precisa saber que a água de abastecimento público é monitorada conforme determina o anexo XX da Portaria de consolidação nº. 05 de 2017, com parâmetros mensais, trimestrais e semestrais, todos os laudos constam digitados no banco de dados do Sistema de Informação de Vigilância da Qualidade da Água para Consumo Humano (Sisagua), e, até o momento não foram detectados agrotóxicos acima dos valores máximos permitidos, estabelecidos nas normas vigentes”, destacou a nota.

Os dados semestrais referentes aos parâmetros agrotóxicos começaram a ser alimentados, no ano de 2016, pelas empresas responsáveis pelo abastecimento de água para consumo humano, o que aumentou significativamente a quantidade de informações disponibilizadas no Sisagua.

“A partir do ano de 2013, a Vigilância em Saúde Ambiental do Tocantins elaborou o Plano Estadual de Vigilância em Saúde de Populações Expostas a Agrotóxicos (VSPEA) e o Plano de Amostragem para coletas semestrais e desde então vem sendo realizadas análises de resíduos de agrotóxicos, além do controle também pela vigilância, em municípios prioritários”, reforça o documento.

Estudo divulgado

De acordo com estudo divulgado, “os dados são do Ministério da Saúde e foram obtidos e tratados em investigação conjunta da Repórter Brasil, Agência Pública e a organização suíça Public Eye. As informações são parte do Sistema de Informação de Vigilância da Qualidade da Água para Consumo Humano (Sisagua), que reúne os resultados de testes feitos pelas empresas de abastecimento”.

“A exposição aos agrotóxicos é um grave problema de saúde pública, portanto, os dados publicados na referida pesquisa merecem uma análise aprofundada uma vez que mostraram discordância com a realidade que a Vigilância em Saúde tem detectado nos municípios de nosso Estado, levando em consideração que o banco de dados da vigilância não ter detectado amostras com resultados acima do VMP”, enfatiza a área técnica.

Após o Portal Atitude ter veiculada matéria, alguns jornais deixaram de observar no infográfico o fato da concentração dos agrotóxicos na água acima dos limites considerados seguros, conforme mostra abaixo a ilustração sobre a Palmas (TO).    (Redação com informações de Aldenes Lima/Governo do Tocantins)

Veja a íntegra da nota:

COMUNICADO

Após veiculação em mídia do estudo denominado “Coquetel” com 27 Agrotóxicos foi achado na água de 1 a cada 4 municípios do Brasil, onde afirma que dos 139 municípios do Tocantins, em 121 foram identificados tais substâncias, a Secretaria Estadual de Saúde por meio da Superintendência de Vigilância em Saúde, informa que a área técnica de Vigilância da Qualidade da Agua para Consumo Humano – VIGIAGUA, vem dando uma atenção especial aos monitoramentos semestrais tanto da vigilância (análises realizadas pelo setor saúde), quanto do controle (análises realizadas pelo responsável pelo abastecimento de agua) para os parâmetros “Agrotóxicos”, conforme preconizado na portaria de consolidação Nº 5/2017, em seu anexo XX, onde estabelece a lista dos agrotóxicos a serem analisados, a periodicidade, bem como, seus Valores Máximos Permitidos – VMP.

Ainda segundo o estudo, “os dados são do Ministério da Saúde e foram obtidos e tratados em investigação conjunta da Repórter Brasil, Agência Pública e a organização suíça Public Eye. As informações são parte do Sistema de Informação de Vigilância da Qualidade da Água para Consumo Humano (Sisagua), que reúne os resultados de testes feitos pelas empresas de abastecimento”.

Informamos que, após iniciativa da SES-TO, os dados semestrais referente aos parâmetros agrotóxicos começaram a ser alimentados, no ano de 2016, pelas empresas responsáveis pelo abastecimento de agua para consumo humano, o que aumentou significativamente a quantidade de informações disponibilizadas no SISAGUA.

Informamos ainda, que a partir do ano de 2013 a Vigilância em Saúde Ambiental elaborou o Plano Estadual de Vigilância em Saúde de Populações Expostas a Agrotóxicos-VSPEA e o Plano de Amostragem para coletas semestrais e desde então vem sendo realizadas análises de resíduos de agrotóxicos, além do controle também pela vigilância, em municípios prioritários.

Consideramos a exposição aos agrotóxicos como um grave problema de saúde pública, por tanto, os dados publicados na referida pesquisa merecem uma analise aprofundada uma vez que mostraram discordância com a realidade que a Vigilância em Saúde tem detectado nos municípios de nosso estado, levando em consideração que o banco de dados da vigilância não ter detectado amostras com resultados acima do VMP.

COMUNICAMOS Á POPULAÇÃO TOCANTINENSE QUE A AGUA DE ABASTECIMENTO PUBLICO É MONITORADA CONFORME DETERMINA O ANEXO XX DA PORTARIA DE CONSOLIDAÇÃO Nº. 05 DE 2017, PARAMETROS MENSAIS, TRIMESTRAIS E SEMESTRAIS, TODOS OS LAUDOS CONSTAM DIGITADOS NO BANCO DE DADOS SISAGUA E ATÉ O MOMENTO NÃO FORAM DETECTADOS AGROTÓXICOS ACIMA DOS VALORES MAXIMOS PERMITIDOS-VMP ESTABELECIDOS NAS NORMAS VIGENTES.

Maiores esclarecimentos pelo email: [email protected] ou pelos telefones: 6332184883/4889.

Deixe Sua Opinião Ela é Importante Para Nós

Tags

Sobre o Autor

Atitude Tocantins

Ao desenvolvermos as seções de Agronegócio, Cidades, Opinião, Social, Cultura, Educação e Esporte, Meio Ambiente e Política procuramos atender a necessidade do público em ser informado sobre os acontecimentos locais, regionais ou próximos à comunidade.

Adicionar Comentário

Clique aqui para adicionar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *